Tempo para mudar - Ex-TJ

(Testemunho de um ex-Testemunha de Jeová)

Minha vida como TJ

Todos nós em algum tempo nos confrontamos com uma mudança que poderá afetar significativamente nossas vidas. Esta é minha história e porque de absolutamente convicto de que conhecia a " Religião Verdadeira ", consegui discernir que eu também fui uma vítima do sistema religioso, talvez o pior de todos que é ser membro da seita " Testemunhas de Jeová ".


Nasci em uma família TJ, fui crescendo como tantas outras crianças que são de famílias participantes desta organização.A rigor minha mãe foi a única que desde que eu me recorde, foi uma "tj fiel ".

Meu pai nos anos de minha adolescência estava voltado para assuntos pessoais, não era desassociado mas era o que eles chamam de " inativo ". Até meus 12 anos, não me recordo de ver meu pai indo com minha mãe em um Salão do Reino, ou fazendo o trabalho de porta em porta. Certo dia meu pai chegou do trabalho com uma notícia inusitada. Disse a mim e minha mãe, que ele havia recebido uma promoção e que iríamos mudar de cidade, nesta época, morávamos no ABC Paulista. Nada de anormal nisso, mas o acréscimo de algo novo, chamou a atenção.

Meu pai disse que nesta "mudança " nós iríamos ser uma família exemplar Testemunha de Jeová.
Soa estranho você ouvir isso de uma pessoa, que passou mais de uma década completamente alheio a isto tudo, com outros interesses e outras atividades. Esta mudança implicou em mudanças que eu absolutamente sequer imaginava.

Eu era um adolescente, e como todos os jovenzinhos tinha lá meus sonhos e expectativas, apesar de acompanhar minha mãe religiosamente às reuniões que ela ia toda a semana, aquilo não era ainda o objetivo primário de vida, nem minha mãe jamais me obrigou a fazer o que eu não quisesse embora me ensinasse exatamente o que para ela era a "verdade".

De repente eu passei a ter que agir como se nada houvesse na vida de essencial, a não ser cumprir com um papel já predefinido pelo meu pai, com exigências e ameaças.
Seu anterior descaso para com o assunto, da noite para o dia se transformou em um fanatismo exacerbado.
Era a década de 70 onde as tj's pregavam e acreditavam no "Fim do Sistema de Coisas ", o Armagedom em 1975.

Apesar de minha pouca idade, eu sabia o que isto significava. Cresci ouvindo isso de todas as tj's que eu conhecia, nas reuniões e nas literaturas publicadas pela WatchTower era nítida a preocupação com a chegada do ano de 1975.Para fanáticos como meu pai, e seguindo o que lia nas publicações tj's, ele estava voltado apenas para isso, o FIM DOS TEMPOS.

Em publicações e discursos feitos, havia o "alerta " da organização, contando inclusive os meses que faltavam para a chegada fatídica de 1975. As tj's eram aconselhadas a não se preocuparem com carreiras, estudo e empregos. Os jovens que insistiam em continuar estudando e buscando uma Faculdade eram vistos como "fracos na fé " e não recebiam cargos ou funções em suas unidades do Salão do Reino, afinal, eles deixavam de considerar o " alimento espiritual no tempo apropriado ", fornecido pela " Organização Pura " aquela se auto proclamava a " Única Religião Verdadeira ".

Por absoluta credulidade e fé nas informações que recebiam de sua liderança, não poucas tj's venderam suas casas e abandonaram suas vidas e carreiras para cumprir o papel a que estavam sendo estimuladas, ou seja, "pregar a chegada do Reino, o fim de Babilônia a Grande, o Armagedom".
Lembro-me de literaturas, onde havia ilustrações de igrejas sendo destruídas, abismos se abrindo e tragando adultos e crianças, uma que me chamou a atenção foi uma mãe caindo no abismo de mãos dadas com o que seria sua filhinha.

O apelo visual e a insistência dos líderes das tj's eram muito acentuados, não havia como alguém "duvidar", pela " procedência das informações " já que as tj's crêem que tudo o que lhes chega, são "ordens de Jeová ", e sendo assim, INQUESTIONÁVEIS.

O ano de 1975 chegou, ao que nos conste, o mundo continua a seguir seu curso por mais de 28 anos após a falsa profecia das tj's.

Não deixei de ser tj por conta disso, além da pouca idade e conseqüente submissão aos meus pais, para uma criança se tornou um alívio não ver meus colegas de escola e vizinhos serem destruídos de forma trágica como eu imaginava que fosse acontecer.

Eu apenas me lembrava das palavras de Jesus quando seus discípulos lhe perguntaram acerca do dia e hora: - " Nem os anjos, nem o Filho, mas ÚNICAMENTE o Pai" sabia o dia e hora.
Porém os líderes das tj's, não só se anteciparam ao próprio Filho, mas também colocaram o Pai sob questionamento e obrigação.

Há expressões nas literaturas das TJ's anteriores a 1975, onde encontra-se expressões do tipo:- " Seria apropriado se Jeová fizesse isso.....", como se Deus necessitasse de que meros humanos prepotentes, lhe dissessem o que deveria ou não fazer, ou seu tempo para agir.
Continuei a seguir este caminho, meu pai se tornou Servo Ministerial e posteriormente um ancião na Congregação que freqüentávamos.

Os anos se passaram e eu cheguei aos 18 anos, batizado e um jovem normal como os demais que eram tj's.
Conheci minha esposa e 3 anos depois, nos casamos e estamos casados já a 22 anos, tenho 2 filhas, uma de 19 e outra de 09 anos, somos felizes por separar as coisas, e manter a paz dentro de nosso lar, a despeito dos problemas do dia a dia e as diferenças religiosas.

Casado e tj eu permaneci durante mais 7 anos. Não poucas vezes, assisti um discurso ou li uma matéria nas literaturas publicadas pela WatchTower onde me deparava com coisas que pareciam não ser exatamente a realidade da interpretação que eles estavam ensinando.

Ardilosamente, o Corpo Governante das tj's, " aconselha amorosamente ", para que em caso de " dúvida ", a pessoa não alimente idéias, não as discuta com os demais irmãos, para evitar suscitar dúvidas dentro da congregação, muito conveniente por sinal. Dizem eles para "aguardar" que a organização com o tempo explique e corrija eventuais erros de interpretação.

Assim sendo, uma tj comum é incapaz de questionar qualquer assunto, qualquer coisa que lhe chegue mediante o Corpo Governante, principalmente porque é explícito entre elas, que os mesmos são o " Canal Exclusivo " entre Jeová e seu " povo escolhido ".

Quem ousaria questionar este " alimento ", temendo encontrar-se em oposição ao próprio Altíssimo?
Esta é apenas uma das formas como a liderança das tj's, o famigerado Corpo Governante os mantém sob absoluto controle de idéias e atitudes.

Eu mesmo quando me deparava com coisas assim, abandonava o assunto e deixava para que no futuro " novas luzes " ( que é assim que eles se referem quando há alguma mudança de interpretação ) chegassem.
O tempo se passou e eu por força de horários que tinha que cumprir, inclusive pela escala de horários na empresa onde eu trabalhava, deixei de freqüentar as reuniões com a mesma assiduidade, assim como por trabalhar nos fins de semana, eu deixei de ir no trabalho de casa em casa.
Trabalhava em uma emissora de televisão na área técnica, e não havia alternativas de mudança em relação a horários.

Foi então que comecei a receber uma certa pressão dos familiares de minha esposa, muitos deles são anciãos em suas congregações, e inclusive de minha sogra também.
Eu já havia tido muitos atrasos em minha vida, por conta da criação que meu pai me deu, e o tal " fim do mundo ' em 1975, e não estava disposto a mudar de algo certo para o incerto, eu tinha uma família e tinha sonhos também.

Claro que eu ainda continuava a ter as TJ's como sendo a "Verdadeira Religião ", independente de pontos como eu citei acima, acreditava sinceramente que ela era a expressão da "verdade".
Quantas vezes eu as defendi perante outras pessoas que questionavam sua fé, pois acreditava estar lhes sendo útil, lhes mostrando o " caminho ".

Uma Decisão Radical

Numa ocasião, tive uma discussão com minha sogra e resolvi dar um fim aos questionamentos e insinuações sem sentido que me eram feitas. Eu sempre fui radical nesta questão, e isso me incomodava bastante.
Para ser uma verdadeira tj, eu deveria cumprir com todas as obrigações que estavam envolvidas, e eu não fazia isso.

Minha vida era moralmente limpa, mas eu estava agindo apenas como um adorador formal, apenas levando o rótulo de tj, deixando a desejar nas minhas responsabilidades cristãs.
Escrevi uma carta aos anciãos responsáveis pelo Salão do Reino que eu freqüentava.
Foi simples assim:

Aos
Corpo de Anciãos


Peço que a partir do recebimento desta, não mais me considerem um de seus irmãos.

Passei da condição de quase inativo, para um dissociado, o que a rigor, para as tj's é o mesmo que a pessoa ter sido expulsa por cometer algum pecado passível da punição de desassociação.
Um dos anciãos uma pessoa realmente muito boa e amiga ainda tentou que eu mudasse de idéia, segundo minha esposa ele até chorou ao ler meu pedido, e não duvido disso, não só por lhe conhecer, mas porque acredito que as tj's enquanto pessoas são vítimas do sistema que as doutrinaram, e isto explica suas atitudes agressivas em relação aos " apóstatas ".

As tj's utilizam o texto de 1º Coríntios 5: 11 para se referir as ex-tj's independente dos motivos que as levaram a sair desta seita.

" Cesseis de ter convivência com qualquer que se chame irmão, que for fornicador, ou ganancioso, ou idólatra, ou injuriador, ou beberrão, ou extorsor, nem sequer comendo com tal homem."

Perguntei a uma tj, se TODAS as pessoas que saem da "organização " são necessariamente extorsores, beberrões, idólatras, injuriadores etc...?
Ela não teve como me dizer, " Sim, TODOS são "
Claro que uma pessoa que comete um pecado condenado na Bíblia deve ser punida se não se arrepender, isso eu não discuto.

Porém as tj's jamais são informadas do " porque " alguém simplesmente deixou de ser tj.
Sendo assim, eles podem especular sobre os mais absurdos motivos, porque não estão cientes dos fatos.
Não sabem determinar se uma pessoa pediu seu desligamento ( dissociação ) por discordar das doutrinas de homens, atribuídas como " Ordens de Jeová ".

Assim de forma errônea, todas as pessoas que se desligam ou são expulsas da organização, são consideradas como o texto de 1º Coríntios citado acima.
Ao me desligar desta seita, os familiares com quem eu tinha convívio, seguindo as determinações que recebem, passaram a evitar ter contato comigo, alguns até faziam questão de demonstrar isso sempre que possível.

Encarei isto de forma natural porque já conhecia o sistema e as conseqüências.
Mesmo nos anos que se seguiram, eu ainda continuei a acreditar na " verdade tj ".
Cheguei a cogitar meu retorno à organização, freqüentei as reuniões durante meses, e como de costume, quando eventualmente acontecia alguma discussão em relação a religião, lá estava eu defendendo aquilo que acreditava, pois eu de fato tinha fé em tudo aquilo.

Confrontado Com a Verdade

Um dia de frente ao computador, digitei na " busca " da web o nome Testemunhas de Jeová. Foi por curiosidade, mas o resultado me surpreendeu. Centenas de páginas, inclusive o link para a página oficial da WatchTower.

Dei uma espiada em algumas coisas, mas me senti irritado em ler o que era escrito contra as doutrinas tj's.
Entrei em uma Lista de Discussão e procurei defender a minha crença, combatendo os " odiosos apóstatas ", os " servos de Satanás " como eu nestes anos havia lido nas publicações das tj's.
Sim, eu lia praticamente tudo o que minha esposa trazia do Salão do Reino. De certa forma estava mais atualizado nas matérias do que muitas tj's ativas, eu realmente gostava de ler e de saber.
Porém embora eu fosse até agressivo com eles, acabei tendo que ler quais eram as alegações que faziam contra o " Povo de Jeová " para poder refuta-las uma a uma.


Interessante que eu sempre aprendi, que uma tj possuidora das " verdades bíblicas " era imbatível nas argumentações contra as religiões falsas, e os membros do que eles chamam de Babilônia A Grande.
Achava estranho que as tj's que freqüentavam a Lista de Discussão e o Fórum do UOL, não se manifestassem contra os " apóstatas ".

Julgava que eram jovens tj's, e que eles não tinham o " conhecimento " que eu possuía.
As que o faziam, tinham as respostas já conhecidas, que eu também conhecia, e não eram bastante para refutar as argumentações recheadas de provas dos apóstatas.
Eu disse acima que o ano de 1975 não influenciou minha decisão de continuar a crer na " verdade ", não afetou a mim nem minha mãe e pai.

Certa ocasião me foi apresentado um link tratando do assunto e as alegações do Corpo Governante sobre este fiasco. Como eu disse no início, eu havia presenciado o que as tj's comuns diziam sobre a proximidade desta data, havia lido nos estudos de A Sentinela e outras publicações, o que o chamado Escravo Fiel havia colocado para as tj's, eu estava ciente de como as coisas se deram, não podia ser enganado!!!!
E assisti o que isto significou na vida futura de muitas delas, inclusive eu mesmo.
Surpreendeu-me como uma ducha de água fria, mas muito fria mesmo, o que tempos depois eles alegaram em uma Sentinela.

Com referência a 1975, diziam que " as pessoas criaram " falsas expectativas ", como se as tj's comuns, pudessem ousar interpretar algo, sem que isso partisse de sua liderança que recebia orientação diretamente do Trono de Jeová.

O Corpo Governante das tj's se eximiu, e vergonhosamente jogou a responsabilidade sobre esta Falsa Profecia, nas costas das tj's comuns.
Isso me decepcionou muito, principalmente porque longe de ser uma afirmação "apóstata " sem sentido, estava gravado nas páginas das publicações das TJ's, portanto era inegável.
Isto foi o bastante?

Não foi. Passei a ler outros assuntos relativos a isso, descobri que 1975 não foi a única data profetizada falsamente pelas tj's antes havia outras, e ainda mais graves eram seus disparates, charlatanismo médico, associação com a ONU, a qual as tj's passaram 50 anos dizendo que ela era a " Besta do Apocalipse ", mas que esteve associada a ela por mais de 10 anos, até ser descoberta e isto ter causado um grande mal estar.
Vacinas, Sangue, Transplantes de Órgãos, a Geração de 1914 entre outras, eram o suficiente para alguém ter que reconhecer que este " Canal Exclusivo " estava mal sintonizado com a vontade do Altíssimo, se é que teve alguma sintonia desde sua fundação a mais de 100 anos.

Faço questão de salientar uma coisa:- Jamais li nas Escrituras Sagradas, alguma " correção " aos livros ali escritos.

Se os escritores inspirados da Bíblia escreveram seus livros muitas vezes sem saber o que aquilo significava, jamais houve uma correção tempos depois, fato usual entre as tj's, principalmente quando suas alegações e justificativas, caem por terra à luz das evidências.

O Corpo Governante das tj's, é especialista em " jogo de palavras ".

Para manter seu rebanho sob controle, hoje sem datas previstas, já que " A Geração que NUNCA passará " e que eles se referiam aos que em 1914 teriam como compreender o significado das coisas que " estavam acontecendo ", hoje teriam mais de 100 anos, usam o termo " Em Breve ".


Abaixo um exemplo do que quero dizer: Este trecho foi retirado do site www.testemunha.com.br .

É muito difícil para uma Testemunha de Jeová achar que esse "alimento espiritual" possa causar indigestão aos que dele se alimentam. E tem isso ocorrido? Para responder a essa pergunta, teremos de estudar concomitantemente um TERCEIRO MITO que fez parte da vida de muitas Testemunhas por várias décadas: a "geração de 1914 que não passaria".

Para introdução desse tema, vejamos o que a organização ensinava sobre isso em "A Sentinela" de 1 de janeiro de 1970, página 11 , parágrafos 2 e 3. Com o tema "Retorne a Jeová enquanto ainda há tempo" e subtópico: "O tempo para se retornar se está esgotando", ela fez as seguintes afirmativas:

"Se é alguém que antes já estudou a Palavra de Deus com as Testemunhas de Jeová, conhece bem a ABUNDÂNCIA DE EVIDÊNCIA bíblica que prova que, desde o ano de 1914, todo este sistema de coisas está no seu "tempo do fim" e encara em breve a destruição completa na guerra universal do Armagedom. Leu as palavras de Jesus em Mateus 24, Lucas 21 e Marcos 13, descrevendo as guerras mundiais que tem observado, acompanhadas por fome, pestilência e grandes terremotos.

Não se lembra de que Jesus, ao profetizar sobre este período dos últimos dias, que começou em 1914, disse também: Deveras, eu vos digo: Esta geração de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram? (Luc. 21:32) Os que tinham apenas idade suficiente para compreender o que estava acontecendo ao mundo em 1914 já estão chegando agora aos setenta anos de idade. Sim, o número dos daquela geração esta diminuindo rapidamente, mas antes que todos eles desapareçam, este sistema terá de ter o seu fim na guerra do Armagedom. Isto certamente salienta que resta agora apenas um tempo muito curto para se retornar a Jeová."

Como o leitor poderá notar, a especialidade do Corpo Governante das tj's é especular com datas e números, depois a culpa da falácia, é das tj's que acreditaram neles, inacreditável!!!!

Vejam agora as " Novas Luzes " 20 anos depois:

A revista "A Sentinela" 1 de novembro de 1995, ao apresentar o novo ensino com respeito a "esta geração", segue a mesma tática, ao dizer (página 17):

"O povo de Jeová, ansioso de ver o fim deste sistema iníquo, às vezes tem especulado sobre quando irromperia a "grande tribulação", até mesmo relacionando isso com cálculos sobre a duração da vida duma geração desde 1914. No entanto, 'introduzimos um coração de sabedoria', não por especular sobre quantos anos ou dias constituem uma geração, mas por refletir em como 'contamos os nossos dias' em dar alegre louvor a Jeová. (Salmo 90:12) [O sublinhado é meu].

Desta forma, a liderança tira dos ombros a responsabilidade que, com toda justiça, cabe a ela, aconselhando piedosamente a comunidade de seus membros com respeito às suas condições espirituais, como se tivesse sido o ponto de vista espiritual deles a causa do problema. Não querem reconhecer que, os membros NÃO DÃO ORIGEM A NADA, e que os membros se apegaram a esperanças quanto a várias datas exclusivamente porque OS LÍDERES da organização os alimentaram com matéria claramente destinada a estimular tais esperanças, que cada data mencionada e todas as conjecturas e 'especulações' e 'cálculos' ligados a essas datas, se originaram, não da comunidade de membros, mas dos LÍDERES. De certo modo, é como se uma mãe, cujos filhos adoeceram de indigestão, dissessem de tais filhos, "Eles não tiveram cuidado com o que comeram", quando, de fato, as crianças comeram simplesmente aquilo que a mãe lhes serviu. E não apenas lhes serviu mas insistiu que o alimento devia ser aceito como saudável, parte de uma dieta superior impossível de se obter em qualquer outro lugar, tanto que qualquer demonstração de insatisfação com tal alimento seria respondida com ameaça de punição.

Vejam abaixo o que era estampado no rodapé da conhecida revista Despertai:
A afirmação categórica de rodapé da revista Despertai!, sustentada de 1982 a 1995, era:

"Esta revista gera a confiança na promessa do criador de estabelecer um novo mundo pacífico e seguro, antes que passe a geração que viu os acontecimentos de 1914".(Sublinhado é meu)

E como ficou essa afirmação surgida pela primeira vez no rodapé de uma edição de "Despertai!" 1982? Ela foi alterada em novembro de 1995 para:

"Essa revista gera confiança na promessa do criador de estabelecer um novo mundo pacífico e seguro, prestes a substituir o atual sistema de coisa perverso e anárquico." (Sublinhado é meu)
Como é difícil manter viva uma esperança vã! A verdade e o tempo são os grandes inimigos dos mitos e das crendices. (Atos 1:7

As tj's não sabem explicar o porque o livro de Apocalipse é PROFÉTICO, mas apenas o número de 144.000 é LITERAL, as tj's não sabem explicar porque as " frações de sangue ", remédios para hemofílicos, produzidos à base de milhares de litros de sangue são permitidos, e as transfusões não.

Nesta questão do sangue, de forma criminosa o Corpo Governante teve que mudar o sentido da proibição de transfusões de sangue.

Antigamente eles alegavam que segundo Atos, o sangue transfundido era o mesmo que alimentar-se.
Quando a Ciência demonstrou claramente que isto era inverídico, eles tiveram que usar seu famoso " jogo de palavras " para continuar mantendo este absurdo criminoso.
Agora ao invés do sangue ser " alimento " portanto proibido segundo Levítico e Atos, passou a ser " ERRADO " sustentar a vida através do sangue:

Contradições Doutrinárias

Abaixo um adendo retirado do site www.ajwrb.org

Nenhum médico ou cientista reputado diria atualmente que uma transfusão de sangue é alimentar-se de sangue, ou que é equivalente a comer sangue, diria em vez disso, que é um transplante de órgão ou de tecido líquido, conforme a própria Sociedade Torre de Vigia reconhece agora. [10] Para contornar este fato, a Sociedade Torre de Vigia criou uma nova lei para as Testemunhas ao dizer que é errado sustentar a vida através do sangue. Aqui o problema é que em nenhuma parte da Bíblia encontramos tal restrição sobre o sangue nesses termos. Será que comer e sustentar a vida é o mesmo, conforme a Sociedade Torre de Vigia argumenta? Bem, existem muitas coisas que fazemos para sustentar a nossa vida, por exemplo beber, respirar, dormir, etc. Comer é apenas uma das coisas necessárias para sustentar a vida. Esse palavreado confuso da Sociedade Torre de Vigia é tanto desonesto como irresponsável e obscurece a verdade da palavra de Deus, indo "além das coisas que estão escritas." (1 Coríntios 4:6)

Será que as Testemunhas de Jeová realmente se abstêm de sangue?

"Assim, também, 'abster-se de sangue' significa definitivamente não introduzi-lo em seu corpo."
- Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra, p. 216, parágrafo 22. A maioria das Testemunhas de Jeová responderia a essa pergunta de forma decidida: SIM! Mas conforme esta breve consideração dos fatos mostrou, a resposta é não. Consegue explicar porque é que a Sociedade Torre de Vigia permite o uso de produtos sanguíneos como a albumina, EPO, soros de sangue/Imunoglobulinas e tratamentos hemofílicos (agentes coagulantes VIII e IX), se estes são claramente tomados para sustentar a vida? Como é que isto pode ser honestamente considerado como 'abster-se de sangue'? A resposta óbvia é que não pode. Se o uso médico do sangue é errado, não podemos escolher a nosso bel prazer quais são as frações ou produtos do sangue dos quais nos absteremos, nem mesmo argumentando que são "pequenas frações", da mesma forma que não nos podemos envolver numa "pequena fração" de fornicação ou numa "pequena fração" de adoração de ídolos. Tal raciocínio está seriamente errado.

O custo humano de manter a proibição da Torre de Vigia sobre o sangue 


Em décadas passadas, inúmeras Testemunhas de Jeová apoiaram lealmente as proibições sobre vacinas e transplantes de órgãos. Em alguns casos este apoio leal custou-lhes a vida, e ficamos a pensar como terão reagido as suas famílias quando a Sociedade Torre de Vigia finalmente recebeu "nova luz", e revogou a sua posição anterior. [9]

Ornamentando a capa da edição de 22 de Maio de 1994 da revista Despertai! estão as fotos de 26 crianças, com idades até aos 17 anos, com a legenda: "Jovens que colocaram Deus em primeiro lugar". No interior, a revista proclama: "No passado, milhares de jovens morreram porque colocaram Deus em primeiro lugar. Ainda há jovens assim, só que hoje o drama acontece em hospitais e tribunais, tendo como questão as transfusões de sangue." (página 2) O artigo destacado na página 9, intitulado "Jovens com "Poder Além do Normal"" conta as histórias de três destas crianças que morreram depois de recusarem tratamento com sangue. Será que as mortes deles eram mesmo necessárias?

A aderência leal à doutrina do sangue custou a vida a milhares de Testemunhas. Apesar deste facto, muitos anciãos, membros das Comissões de Ligação com Hospitais e pessoas que já há muito tempo observam a Watchtower acreditam que é só uma questão de tempo até a organização revogar [abandonar] a sua política a respeito do sangue, e o uso de todos os produtos do sangue se tornar um assunto de consciência.

Entretanto, o leitor é encorajado a informar-se completamente sobre este assunto para que possa fazer uma escolha informada e conscienciosa a respeito do uso do sangue e de produtos sanguíneos. Procure terapias alternativas sem sangue sob o conselho de profissionais médicos qualificados, que são quem melhor o podem informar acerca dos riscos e potenciais benefícios tanto de aceitar como de rejeitar o uso de produtos sanguíneos, independentemente de o uso destes produtos ser presentemente aprovado ou não pela Sociedade Torre de Vigia

Eu li esta revista, e chorei por eles, por terem perdido suas vida inutilmente, e ainda servirem como " propaganda " para que outros tenham o mesmo destino.

Haveria dezenas de assuntos a serem postados aqui que reforçariam minha decisão de considerar a seita das tj's, uma das formas mais nocivas de controle mental, de cerceamento de direitos.
Quando uma pessoa é visitada em sua porta por um par de tj's, lhe é mostrado algo maravilhoso, uma esperança.

É muito fácil tornar-se uma tj, difícil é sair se discordar do que lhe ensinam.
Na Bíblia o sentido de família é sempre valorizado, porém o Corpo DESgovernante das tj's, os estimulam a que em caso de uma desassociação ou dissociação , a pessoa passa a ser evitada até por membros íntimos de sua família.

Pais e mães devem conversar o mínimo com seus filhos, mesmo que estes sejam adolescentes.
Citam exemplos de filhos que disseram para sua mãe ( desassociada ) que só iriam tratar com ela, assuntos que não pudessem ser evitados, ou seja, cessariam de ter contato com ela, condenando uma mãe a ser isolada pelos seus próprios filhos.

Esta documentado em um Ministério do Reino e em uma Sentinela.
Ainda tem o descaramento de dizer que esta mãe " retornou " à organização, provando que a " disciplina de Jeová " produz resultados.
Será mesmo!!!!???

Ou será também, que ao se sentir isolada e abandonada, nada mais restou a esta Sra., senão submeter-se à vontade e o controle da organização das tj's novamente, sob pena de mal poder ver seus filhos e netos?
As tj's insistem para que as pessoas das outras religiões " verifiquem suas crenças ", porém elas mesmas, são impedidas de verificarem as suas, sob pena de serem expulsas e depois relegadas a parias dentro de suas próprias casas.

Há relatos de pessoas que se suicidaram, tal a pressão exercida pelos seus familiares tj's e que dividiam o mesmo teto que elas.

Não há forma de deixar de ser uma tj e sair com dignidade.
Sempre você será considerado um " odiador de Deus " um " pecador ", mesmo que contra Deus e contra a Bíblia, você nada tenha feito que o desaprovasse.

Abaixo uma entrevista de um ex-membro do Corpo Governante Raymond Franz, muito reveladora, ele é autor do livro " Crises de Consciência "

REVELADORES TESTEMUNHOS DE UM EX-LÍDER DAS "TESTEMUNHAS"

Entrevista com Raymond Franz

A exclusão de Raymond Franz da sociedade religiosa Torre de Vigia, a que pertenceu por quase toda a vida, foi comparada a uma excomunhão do Colégio de Cardeais da Igreja Católica, em artigo de página inteira do semanário internacional Time (22 de fevereiro de 1982). Ele havia ocupado privilegiada posição por nove anos como um dos 17 membros do exclusivo "Corpo Governante" dessa entidade até demitir-se do cargo, sendo mais tarde desligado da religião. Dita organização, com sede em Brooklyn, N.Y., EUA, comanda as atividades mundiais das "testemunhas de Jeová".


Nesta entrevista exclusiva ao repórter de Correio Cristão, Raymond Franz indica algumas das razões que o levaram a não só retirar-se da liderança daquela sociedade, que alega ser "teocrática", mas produzir dois livros em que oferece provas irrefutáveis dos erros e equivocada metodologia das "testemunhas de Jeová" ao ensinarem a Bíblia.

Entre outras importantes atribuições que Raimond Franz ocupou no seio da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados destaca-se o seu papel de membro da comissão executiva da organização, ou o seu "Corpo Governante"-na época composto de 17 membros rigorosa e cuidadosamente selecionados. Ele é sobrinho de Frederick Franz, presidente mundial e principal "teólogo" dentre as "testemunhas de Jeová" até seu falecimento em dezembro de 1992 e foi encarregado de coordenar parte do material para o livro Aid to Bible Understanding [atualmente chamado Insight on the Scriptures em inglês, e Estudo Perspicaz das Escrituras, em português], tipo de enciclopédia bíblica que se tornou obra mais erudita produzida pelas enormes gráficas daquela sociedade religiosa. Ele foi responsável pela pesquisa do verbete mais longo do livro, que trata sobre "Cronologia".

Na pequena comunidade de Winston, a cerca de 45 km a noroeste de Atlanta, estado da Georgia, EUA, ao longo da rodovia que conduz à divisa com o Alabama, foi onde contatamos esse ex-líder entre os jeovaístas numa fria noite de março de 1993. Eu fizera arranjos com ele por telefone para uma entrevista. A princípio ele demonstrou hesitação em ter uma entrevista gravada: não quer que as "testemunhas de Jeová" interpretem suas declarações como uma adesão ensinos de outras igrejas; após deixar a seita ele decidiu não se ligar formalmente a qualquer igreja em particular, mas participa com freqüência de estudos bíblicos com outras ex-testemunhas". Sendo que não fez objeções a tomarmos notas por escrito de suas declarações, chegamos a um consenso para a entrevista.

Raymond Franz fora um dedicado membro da seita das "testemunhas de Jeová" por mais de 40 anos e um dos seus 144.000 "ungidos" (os únicos a irem para o céu para viver para sempre com Jesus, enquanto os demais-da "grande multidão"-ficam sobre a Terra renovada, numa espécie de "salvação de segunda", conforme os ensinos da Torre de Vigia). Ele inclusive atuou como missionário, enfrentando pobreza, doença e perseguição ao trabalhar na República Dominicana e outros países latino-americanos. Entre vários idiomas que fala fluentemente, o seu espanhol é impecável.

Quando na sede internacional da Sociedade Torre de Vigia circularam rumores de que ele discordava de alguns pontos básicos da religião, chegou a ser tratado de modo quase brutal por membros do Corpo Governante, recorda ele, em atitudes desconcertantes de investigações secretas, gravações não autorizadas de conversas telefônicas, insinuações malévolas por publicações da seita e várias outras formas de pressão psicológica, vendo-se forçado a renunciar a sua posição.

Mas o ostracismo a que foi lançado permitiu-lhe mais tempo para refletir sobre o sentido de tudo por que havia passado, não só nos últimos tempos, como por toda a sua existência como ativo membro do que o artigo de Time chama de "uma seita apocalíptica", que reivindica ser o exclusivo canal da verdade de Deus sobre a Terra.

Em sua nova condição de ex-líder religioso e "renegado" da fé, Franz escreveu dois livros, somando mais de 1.000 páginas de material onde detalha o funcionamento um tanto quanto secreto do Corpo Governante e outros setores da sua antiga religião. A primeira obra se intitula Crise de Consciência e foi lançada no Brasil pela Editora Vida.

Quem espera encontrar expressões de amargura e denúncias sensacionais em suas obras se desapontará. Franz não trata os que lidaram com ele na mesma medida em que foi tratado. Antes, procura ressaltar os aspectos positivos daqueles homens como pessoas sinceras e dedicadas, e atribui o comportamento descaridoso e nada diplomático deles a seu respeito às exigências do sistema a que dedicam inabalável fidelidade, bem como à insegurança que tal sistema propicia, com suas freqüentes mudanças de interpretação doutrinária, sobretudo as "datas marcadas" (predições "bíblicas") de acontecimentos que nunca se materializaram: 1914, 1915, 1918, 1920, 1925, 1941, 1975, entre outras.

Explica Franz que sua pesquisa para o preparo do livro Aid foi o fator inicial para abrir-lhe a mente para problemas sérios na exegese e cronologia "bíblica" das TTJ.

Entre os pontos sensíveis levantados na pesquisa está a falta de fundamentação histórica para a data 607 AC como ano em que Jerusalém foi desolada, a partir de onde teriam começado os 70 de cativeiro de Israel sob Babilônia. Essa data é crucial para a cronologia que levaria ao ano de 1914, extremamente importante na interpretação bíblica das "testemunhas de Jeová". Assim, se a data 607 AC estiver errada, a cronologia a que serve de base estará errada. E se a cronologia estiver errada, a teologia estará errada.

Franz conta que levou o problema da falta de fundamento para tal data básica a seus pares durante uma reunião do Corpo Governante. Pesquisa realizada por ele e seu secretário em todas as bibliotecas da área de Nova York, e outras informações que lhe chegaram de um ancião TJ na Suécia (Carl O. Jonsson, que, independentemente de suas próprias investigações preparara um estudo detalhado sobre o assunto) convenceram-no de que tal data realmente era infundada. Posteriormente, Jonsson também abandonou a seita, tendo escrito uma obra erudita discutindo a falsa cronologia bíblica das TTJ, intitulada The Gentile Times Reconsidered [Reavaliação dos Tempos dos Gentios].

Ele lembra como o assunto causou grande celeuma entre seus companheiros dirigentes das "testemunhas de Jeová". Finalmente, puseram em votação as alternativas de reconhecer e corrigir o erro, segundo os dados históricos admitidos pelo consenso de historiadores de gabarito (a data correta seria 586 AC), ou manter a tradição interpretativa. Pelo levantar da mão daqueles chefes religiosos, decidiu-se que Jerusalém teria sido desolada quase 20 anos antes da data real para o acontecimento, ou seja, optaram pela tradição!
Perguntei a Franz se o voto majoritário de seus antigos pares tinha sido motivado por estudos profundos empreendidos por eles que contrariavam o consenso de historiadores e arqueólogos a respeito da data correta, ou por alguma nova pesquisa arqueológica em que eles próprios teriam se engajado ou sido informados a respeito. Ele apenas sorriu, como resposta.

Entre os fatos marcantes de sua experiência à frente da organização jeovaísta, Franz lembra a grande perseguição a que as "testemunhas" foram submetidas no Maláui, pequeno país do sudeste africano, devido à recusa por eles em adquirir um cartão do partido único do governo ditatorial daquele país. A literatura das "testemunhas" não se cansava de ressaltar a grande injustiça e o sofrimento desses religiosos, sujeitos a todo tipo de preconceito, estupros e maus tratos. Muitos tiveram que abandonar o país sob condições penosas para nações vizinhas, e os textos bíblicos que falam de perseguição aos fiéis seguidores de Cristo nunca deixavam de ser citados nas revistas A Sentinela e Despertai! ao se referirem ao caso.

Qualquer ato de perseguição contra pessoas por convicções políticas ou religiosas é decerto condenável e lamentável. O que o público nunca soube, porém, é que enquanto se requeria estrita adesão às ordens da Sociedade Torre de Vigia das "testemunhas de Jeová" do Maláui para não rebaixarem as normas aceitando a ordem governamental (o que contrariaria sua posição de absoluta neutralidade ante os governos humanos), no México as "testemunhas" eram instruídas a obterem um documento de isenção de serviço militar mediante um ato ilegal: o suborno!

O escritório regional das "testemunhas" no México, em busca de orientação sobre como agir no caso, escrevera à Torre de Vigia, em Brooklyn, Nova York, explicando que a prática de obter os documentos de isenção do serviço militar por propinas era comum no país, mas reconhecidamente aética. Explicava que as "testemunhas" de sexo masculino praticavam o mesmo que muitos outros de seus concidadãos mexicanos-pagavam "la mordida" aos chefes militares para não terem problemas, não serem presos, etc.

A orientação da sede mundial das "testemunhas" foi simplesmente incrível: sendo que o dinheiro pago a esses militares corruptos não seria encaminhado para beneficiar a máquina de guerra do país, e sendo que o pagamento de propinas já era algo enraizado na cultura local, que os jovens "testemunhas" pagassem a tal taxa para obter o seu documento de isenção do serviço militar, ilegalmente ou não, e se livrassem do problema!

Dois pesos, duas medidas! Franz documenta em seu livro tudo isso em detalhes, com fotocópias da correspondência trocada entre o escritório do México e a sede mundial da seita.

Franz não foi logo "excomungado" ao desligar-se de seu posto na organização. Mudou-se para Gadsden, Alabama, onde foi morar com um amigo que ainda pertencia à religião. Pouco depois, este também apresentou objeções a aspectos doutrinários da seita e foi excluído como membro em sua congregação local que Franz também freqüentava. Na época ficou decidido pelo Corpo Governante que uma antiga regra de ostracismo aos afastados da religião seria restabelecida: a de proibir qualquer membro ativo a sequer saudar à distância um "apóstata", ainda que desligado a seu próprio pedido.

Ao ser visto por uma pessoa do Salão do Reino em Gadsden comendo num restaurante em companhia de seu amigo excluído da religião, a tecnicalidade legal foi encontrada para também excluí-lo, e à esposa, da comunhão das "testemunhas de Jeová". No artigo do Time acima referido, uma irônica legenda sob a foto de Franz sintetiza o absurdo de tal medida. Diz a revista: "Losing heaven over one restaurant meal" [perdendo o céu em função de uma refeição num restaurante).

O conceito abaixo aplica-se às Testemunhas de Jeová?

A revista "Despertai!", 8 de setembro de 1997, página 6, sexto parágrafo, diz: "Não é errado a pessoa tentar refutar os ensinos e as práticas de um grupo religioso que ela julgue ser incorretos."

Se não é errado refutar, porque uma tj não pode faze-lo abertamente?

Na realidade isto acima se aplica não as tj's, mas as demais organizações religiosas e é mais um " jogo de palavras " de seu Corpo Governante.

Uma pessoa que decida questionar suas crenças, tem o aval da seita das tj's e é encorajada a fazer isso, porém ela como membro desta seita, será punido exemplarmente se ousar discordar de seu " Canal Exclusivo " embora estes homens hoje em dia, digam-se falíveis.
Se forem falíveis, seus ensinos podem estar errados, e eles não tem autorização de se considerarem intermediários entre Deus e os homens, pois é certo que o Altíssimo nunca ensinou a seus profetas, algo errado ou que não se cumprisse.

Ele não tem o direito de se proclamarem " Canal Exclusivo " pois o Verdadeiro Deus não é conhecido pelos seus erros, mas pela veracidade de Sua Palavra.

O Verdadeiro Deus jamais ensinaria ou instruiria seu " povo escolhido ", para que este cometesse erros doutrinais, que levassem pessoas à morte por nada, que considerassem os transplantes como " canibalismo " e tempos depois dissessem que " é uma questão de consciência " .

O Verdadeiro Deus não iria permitir que seu " povo escolhido " cometesse o engano de proibir as vacinas, como se estas fossem " coisas do demônio" ", ou aconselharia a que seus servos fizessem uso de tratamentos alternativos com equipamentos produzidos por charlatães e que foram amplamente divulgados como " benéficos " em suas revistas".

O TESTE DUM FALSO PROFETA SEGUNDO A BIBLIA

O teste fundamental para se saber se um indivíduo é um falso profeta é este:

"E, se disseres no teu coração: Como conheceremos qual seja a palavra que o Senhor falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás." 
(Deuteronômio 18:21,22).


O TESTE DUM FALSO PROFETA SEGUNDO A ORGANIZAÇÃO

"Jeová, o Deus dos verdadeiros profetas, envergonhará todos os falsos profetas, quer por não cumprir a predição falsa de tais pretensos profetas, quer por cumprir suas próprias profecias de modo oposto ao que os falsos profetas disseram.

Os falsos profetas procurarão ocultar seus motivos de sentir vergonha por negar quem realmente são."(O Paraíso Restabelecido para a Humanidade, pág. 354/5)

Temos ai dois testes para um profeta, um segundo a Bíblia; o outro segundo o corpo governante. Em resumo é basicamente isto:

1. A palavra não se cumpre.

2. A palavra se cumpre inversamente do predito.

3. Os falsos profetas procurarão negar o que profetizaram

4. Não admitirão que são falsos profetas.

Conclusão


Sei que as tj´s que lerem este meu relato, não irão procurar ver o que esta implícito em minhas palavras, mas irão procurar uma desculpa para ridicularizar .


A estes eu digo que tenho muita pena ao que eles estão presos e cegados, ovelhas sem pastor e reféns de uma seita sectária, desumana e falsa.

Conhecendo esta seita da forma que ela realmente é, e não mascarada e a sujeira empurrada para debaixo dos tapetes de Brooklyn, lhes digo que ela não difere em nada das outras organizações a que acusa como sendo Babilônia.

Só quem sabe o que eu sei, compreende o " porque " do Corpo Governante insistir em que as tj's não participem e não leiam matérias que expõe claramente o que a WatchTower é, uma seita sectária, dúbia, que utiliza jogo de palavras e usa a morte de inocentes como propaganda para fazer valer suas crendices e ensinamentos desumanos.

Antes da Internet a tática de Brooklyn venceu pois é fato de que eu sou testemunha, que a podridão ficava oculta como eu disse acima, aliás, mesmo hoje a grande maioria tj nem faz idéia do que é sua " organização ".

Hoje com a Internet a máscara caiu, e espero de coração que as pessoas que são tj's, examinem e tirem suas conclusões sinceras, os que estão se aproximando da seita das tj's, obtenham informações que não lhes são ditas quando é oferecido um " estudo bíblico ", para que seu futuro não seja comprometido por uma religião que o afastará de seus familiares, amigos e vizinhos, e que poderá causar uma divisão em seu lar.

Não se enganem, o preço de se tornar uma tj apenas para descobrir algum tempo depois de que foi enganado, não vale o risco e a pena imposta.

Se refutar a falsidade e hipocrisia de uma seita é ser " apóstata ", tenho orgulho do rótulo e podem me considerar assim,


Cordialmente
Val


" Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará ", esta é uma grande realidade!

Testemunho enviado ao CACP por e-mail.

1 comentários:

paulo di tarso disse...

MEDO DOS DESASSOCIADOS - Leva a seguinte ORDEM DO CORPO GOVERNANTE: “Quando há uma desassociação, a LEALDADE EXIGE que apoiemos os anciãos, sem tentar adivinhar se houve MOTIVOS SUFICIENTES para a ação tomada.” (A Sentinela, 15/01/1988, pág. 19)(grifo meu) O medo transforma "religiosos" em covardes!



ACEITAR SEM QUESTIONAR - Leia o que o "corpo governante" ORDENA: - A Sentinela de 15/7/1983, pág. 22 "Evite idéias independentes....Como se manifestam tais idéias independentes? Um modo comum É QUESTIONAR o conselho provido pela organização visível de Deus." - A Sentinela de 15/7/1983, pág. 22 (grifo meu)

O corpo governante,líderes,das testemunhas de Jeová,sabe que os que abandonaram essa "Torre" sabe das mentiras,dos erros,das contradições e das profecias falsas que essa "Torre" pratica. Calar e difamar os que saíram é um meio de esconder suas heresias.

VOCE SABIA DISSO? - Por ter sido MEMBRO DO CORPO GOVERNANTE e sobrinho do então quarto Presidente da STV, a expulsão de Raymond atraiu muita atenção entre as Testemunhas de Jeová, dos dissidentes e do público em geral. Quando A REVISTA TIME contou sua história na edição de 22/2/1982, pág. 66, isso resultou num volume crescente de correspondência. Por tal razão, Raymond Franz decidiu escrever um livro que apresentasse uma explicação pública documentada sobre o que de fato aconteceu. O resultado foi o livro Crise de Consciência, que agora têm uma circulação internacional em várias línguas.(http://pt.wikipedia.org/wiki/Raymond_Victor_Franz)

Postar um comentário

REGRAS AO COMENTAR:

"Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem. Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção. Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo." [Efésios 4:29-32 (NVI)]

1 - Todos os usuários deverão se identificar de alguma forma (nome, apelido ou pseudônimo).

2 - Comentários somente com letras maiúsculas serão recusados.

3 - Comentários ofensivos serão deletados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Dúvidas entre em contato - helio.juniorjp@gmail.com - "Estejais sempre prontos para responder a todo aquele que pedir a razão da esperança que há em vós" (I Pe. 3.15)

Irmãos

Arquivo do blog