O pecado de Sodoma foi o homossexualismo ou a falta de hospitalidade? Gênesis 19.8

A MÁ INTERPRETAÇÃO: Algumas pessoas têm ar­gumentado que o pecado de Sodoma e Gomorra foi a falta de hospitalidade, e não o homossexualismo. Eles se baseiam no costume cananeu de garantir proteção àque­les que se hospedam sob o telhado de alguém. Alega-se que Ló se referiu a isso quando disse: "Somente nada façais a estes varões, porque por isso vieram à sombra do meu telhado" (Gn 19.8b). Então Ló teria oferecido as suas filhas para que satisfizessem à multidão enfurecida, com a finalidade de proteger a vida dos visitantes que vieram sob o seu telhado. E a solicitação dos homens da cidade de "conhecer" significaria simplesmente "tornar-se conhecido" (leia Gn 19.7), uma vez que o termo hebraico utilizado para conhecer (yadha) geralmente não tem conotações sexuais em parte alguma (conferir Sl 139.1). É importante compreender o que as Escrituras dizem a esse respeito, pois certos adeptos da Nova Era, como Matthew Fox, acreditam que o homossexualismo é tão aceito pelo "Cristo cósmico" quanto o heterossexualismo (conforme seu livro The coming of the cosmic Christ).

CORRIGINDO A MÁ INTERPRETAÇÃO: (Leia os comentários sobre Ez 16.49). Ao mesmo tempo que é verdade que o termo hebraico utilizado para conhecer (yadha) não significa necessariamente "ter sexo com", o termo possui claramente tal significado no contexto da história que trata de Sodoma e Gomorra. Esse fato é evidente por várias razões. Primeiramente, em dez das doze vezes que essa palavra é empregada em Gênesis, ela se refere a relações sexuais (por exemplo em Gn 4.1,25).

Em segundo lugar, ela é empregada referindo-se a relações sexuais nesse capítulo, pois Ló se refere as suas duas filhas virgens como não tendo "conhecido varão" (19.8), que é obviamente o emprego do termo referin­do-se à parte sexual.

Em terceiro lugar, o significado de uma palavra é des­coberto pelo contexto no qual é utilizada. E o contexto aqui é, sem dúvida, sexual, conforme é indicado pela referência à maldade da cidade (18.20), e pela oferta das virgens para a satisfação das paixões deles (19.8).

Em quarto lugar, "conhecer" não pode simplesmente significar "tornar-se conhecido", porque é equiparado a uma atitude "perversa" (19.7). Em quinto lugar, por que oferecer as filhas virgens para satisfazer às paixões se o intento deles não era sexu­al? Se os homens tivessem pedido para "conhecer" as filhas virgens, ninguém se enganaria quanto às intenções sexuais deles.


Resposta as Seitas - 
Norman G. Geisler e Ron Rhodes - 
CPAD - Casa Publicadora das Assembleias de Deus

0 comentários:

Postar um comentário

REGRAS AO COMENTAR:

"Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem. Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção. Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo." [Efésios 4:29-32 (NVI)]

1 - Todos os usuários deverão se identificar de alguma forma (nome, apelido ou pseudônimo).

2 - Comentários somente com letras maiúsculas serão recusados.

3 - Comentários ofensivos serão deletados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Dúvidas entre em contato - helio.juniorjp@gmail.com - "Estejais sempre prontos para responder a todo aquele que pedir a razão da esperança que há em vós" (I Pe. 3.15)

Irmãos

Arquivo do blog