Apologética Pressuposicional

Essa variante da apologética cristã envolve o uso de pressuposições. [1] Um cristão pressuposicionalista pressupõe a existência de Deus e argumenta dessa perspectiva para mostrar que o teísmo cristão procede. [2] Essa posição também pressupõe a verdade das Escrituras cristãs e depende da validade e do poder do evangelho para mudar vidas (Rm 1.16). Das Escrituras sabemos que o incrédulo é pecador em sua mente (Rm 1.18-32) e incapaz de discernir as coisas espirituais (1Co 2.14). Isso quer dizer que não importa quão convincente a evidência ou procedente a lógica, um descrente não pode vir à fé, pois a sua natureza caída vai distorcer a forma como ele recebe a verdade. A única coisa que pode finalmente mudá-lo é a regeneração. Para este fim, o pressuposicionalista procura mudar as pressuposições da pessoa para que estejam em conformidade com a revelação bíblica.

Eu percebi que as pressuposições de uma pessoa são extremamente importantes quando se discute Deus e a validade do Cristianismo. No debate busco sempre fazer um diagnóstico da posição de uma pessoa quanto a sua filosofia e pressuposição, e assim posso debater melhor sobre o Cristianismo. É de muita importância enfocar esse ponto, pois as pressuposições de uma pessoa vão determinar como ela interpreta os fatos. Por favor, considere o seguinte diálogo como um exemplo vívido de como isso acontece.

Allen: Sou um ateísta e evolucionista. Prove para mim que há um Deus.

Paul: Eu não creio que possa fazer isso a partir das suas pressuposições.

Allen: Por que não?

Paul: Porque as suas pressuposições não vão permitir que você examine de forma imparcial a evidência que eu apresentar a você da existência de Deus.

Allen: Isso porque não há evidência da existência de Deus.

Paul: Percebe? Assim você age. Apenas confirma o que eu estou dizendo.

Allen: Como assim?

Paul: A sua pressuposição é que não há Deus, logo, não importa o que eu possa apresentar a você para mostrar a Sua existência, você deve interpretar isso de uma maneira que seja coerente com a sua pressuposição; isto é, que não há Deus. Se eu tivesse uma fita de vídeo de Deus descendo do Céu, você diria que se tratava de um efeito especial. Se eu tivesse um milhão de testemunhas oculares dizendo tê-Lo visto, você alegaria que se tratava de histeria coletiva. Se eu tivesse as profecias do Antigo Testamento cumpridas no Novo Testamento, você diria que foram forjadas, datadas incorretamente ou que não se tratam realmente de profecias. Então, eu não posso provar qualquer coisa a você uma vez que a sua pressuposição não vai permitir isso. Ela é limitada.

Allen: Ela não é limitada.

Paul: Sim, é. A sua pressuposição não permite que da evidência você possa inevitavelmente determinar a existência de Deus – demonstrando que havia provas factuais da Sua existência. Não percebe? Se eu TIVESSE uma prova inequívoca a sua pressuposição forçaria você a interpretar os fatos de forma coerente com a sua pressuposição e assim você não seria capaz de ver a prova.

Allen: Entendo a sua colocação, mas estou aberto para ser persuadido, se você puder fazê-lo.

Paul: Então devo perguntar, que espécie de evidência você aceitaria provando a existência de Deus? Preciso saber no que consistem as suas pressuposições para assim trabalhar com elas ou contra elas.

A apologética pressuposicional difere da apologética clássica “em que a apologética pressuposicional rejeita a validade das provas tradicionais para a existência de Deus.” [3] Um pressuposicionalista típico volta-se à cosmovisão de uma pessoa e procura mudar a base ou fundamento a partir do qual a pessoa entende os fatos.

Têm sido aderentes a essa posição pessoas como Cornelius Van Til, Abraham Kuyper, Greg Bahnsen, John Frame etc.

Matt Slick

Notas:

[1] Uma pressuposição é uma suposição dada por certa.

[2] Teísmo é a crença que existe Deus e que ele está atuante no mundo.

[3] Geisler, Baker's Encyclopedia of Christian Apologetics , page 607.

Traduzido por: Marcelo Herberts
Fonte: http://www.monergismo.com/.

0 comentários:

Postar um comentário

REGRAS AO COMENTAR:

"Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem. Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção. Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo." [Efésios 4:29-32 (NVI)]

1 - Todos os usuários deverão se identificar de alguma forma (nome, apelido ou pseudônimo).

2 - Comentários somente com letras maiúsculas serão recusados.

3 - Comentários ofensivos serão deletados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Dúvidas entre em contato - helio.juniorjp@gmail.com - "Estejais sempre prontos para responder a todo aquele que pedir a razão da esperança que há em vós" (I Pe. 3.15)

Irmãos

Arquivo do blog